21 de junho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
27/11/23 às 15h28 - Atualizado em 27/11/23 às 15h28

Taguatinga terá duas novas creches para atender em período integral

COMPARTILHAR

O Governo do Distrito Federal (GDF) trabalha para ampliar a oferta de vagas em creches públicas de Taguatinga. Em breve, a cidade ganhará dois novos centros de educação de primeira infância (Cepis), localizados na QNL 9/11 e na QNJ 56, Área Especial 18.

Em construção, as unidades terão capacidade para atender, ao todo, 376 crianças de até 6 anos em tempo integral. “Muito possivelmente, quando os Cepis ficarem prontos, vamos conseguir zerar a demanda reprimida por vagas na região de Taguatinga Norte”, enfatiza o coordenador regional de ensino de Taguatinga, Murilo Marconi Rodrigues.

 

Cada unidade educacional contará com dez salas de aula, sendo duas destinadas ao berçário e as demais para uso dos estudantes dos maternais 1 e 2 | Fotos: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

As obras do Cepi do Setor J estão adiantadas. Cerca de 30 funcionários trabalham diariamente na execução da superestrutura da unidade educacional, tendo como foco serviços de acabamento. O investimento total para erguer a unidade supera R$ 5,4 milhões.

Moradora da região há 18 anos, Zelita Ana Cerrano, de 47 anos, defende que a construção da creche era um desejo antigo de quem reside no setor: “É uma benfeitoria que chega em boa hora. Vai ficar muito mais perto e cômodo para os moradores do Setor J”.

Zelita Ana Cerrano: “Vai ficar muito mais perto e cômodo para os moradores do Setor J”

Já na creche do Setor L, as equipes trabalham na consolidação da infraestrutura. São realizados serviços de alvenaria, aterramento de baldrame, instalação hidrossanitária e de água, armação das cintas das vigas superiores, instalação de reservatórios, entre outros. A obra está orçada em R$ 5,75 milhões, com 22 empregos diretos criados.

“Eu, particularmente, gostei muito quando vi que o local, onde antes era um terreno baldio, daria lugar a uma creche. É uma obra excelente, muito importante para as mães da região. O GDF está de parabéns pela iniciativa”, avalia a aposentada Irece Maria, 59 anos, moradora do Setor L.

Conforto e segurança

Irece Maria: “Eu, particularmente, gostei muito quando vi que o local, onde antes era um terreno baldio, daria lugar a uma creche”

As obras de construção das creches seguem os padrões estabelecidos pelo Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

“Fazemos a utilização deste projeto arquitetônico em função da possibilidade de otimizarmos etapas da construção. Uma vez que já temos a arquitetura definida, conseguimos produzir peças técnicas de maneira mais célere para subsidiar o processo licitatório”, explica a subsecretária substituta de Infraestrutura Escolar da Secretaria de Educação do DF (SEE), Aline da Silva Lima.

Cada unidade educacional contará com dez salas de aula, sendo duas destinadas ao berçário e as demais para uso dos estudantes dos maternais 1 e 2. Além disso, o projeto prevê a construção de refeitórios, espaços multiúso, pátio coberto e descoberto, parquinhos, fraldários, sala de professores, salas administrativas e banheiros adaptados para pessoas com deficiência.

“É um formato que oferece mais espaços para uso dos alunos e, consequentemente, permite uma oferta maior de vagas. Isso sem abrir mão do conforto e segurança”

Aline da Silva Lima, subsecretária substituta de Infraestrutura Escolar

“O modelo escolhido atende a demanda por vagas na região, respeitando a compatibilidade do projeto com o terreno escolhido. É um formato que oferece mais espaços para uso dos alunos e, consequentemente, permite uma oferta maior de vagas. Isso sem abrir mão do conforto e segurança”, prossegue a subsecretária.

Ampliação

Além das creches dos setores L e J de Taguatinga, o GDF também trabalha na construção de unidades em Ceilândia, Recanto das Emas, Santa Maria, Gama, Estrutural, Guará, Jardins Mangueiral, Riacho Fundo, Riacho Fundo II, Vila Telebrasília e Samambaia. O investimento total previsto ultrapassa os R$ 85 milhões.

Desde 2019, nove unidades educacionais para crianças de até 6 anos foram entregues, beneficiando moradores de Ceilândia, Samambaia, Pôr do Sol, Planaltina e Lago Norte. O investimento para a ampliação da rede de primeira infância foi de mais de R$ 28 milhões.

Recentemente, o governador Ibaneis Rocha autorizou, por meio de decreto, a expansão das instalações das escolas para receber um maior número de alunos. As creches, por exemplo, poderão abrigar mais de 200 crianças, ultrapassando a capacidade máxima indicada até então.

Todas essas ações permitiram reduzir quase pela metade – de 23 mil para 13 mil – o número de crianças na fila de espera por vagas em unidades escolares de ensino infantil.

(Com informações da Agência Brasilia)

Mapa do site Dúvidas frequentes