04 de fevereiro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
23/01/23 às 10h03 - Atualizado em 23/01/23 às 10h03

Drenar DF e entrega de viadutos estão entre as grandes obras para 2023

COMPARTILHAR

Grandes obras estão previstas para ser entregues em 2023, assim como outras começam a sair e reforçam a característica desta gestão do Governo do Distrito Federal (GDF) de tirar grandes projetos do papel. Do Túnel de Taguatinga Rei Pelé. passando por viadutos no Recanto das Emas/Riacho Fundo II e em Sobradinho e chegando até o Drenar DF, a capital está bem-servida e recheada de canteiros de obras.

Na semana passada, o GDF lançou o grande projeto de drenagem, o Drenar DF, que terá investimento de R$ 174 milhões para resolver o problema de alagamentos e inundações em áreas críticas do Plano Piloto. A execução está a cargo da Terracap, responsável por outras grandes ações, como a pavimentação em concreto rígido na W3 Sul e na via Estrutural, em parceria com outros órgãos, e a construção de escolas no Itapoã, em Samambaia, em Arniqueira e no Recanto das Emas.

 

“São projetos em que o governo investe o dinheiro arrecadado com a venda de imóveis e retorna em infraestrutura para a população”, pontua o presidente da Terracap, Izidio Santos.

 

“O DF vive de pequenas, médias e grandes obras, cada uma com a sua importância”

José Humberto Pires, secretário de Governo

A Secretaria de Obras também tem uma extensa lista de ações. Umas estão mais próximas de ser concluídas, como o Túnel de Taguatinga, projeto que aguardou décadas para ser executado. Na mesma cidade, em paralelo a Ceilândia, a reorganização da Avenida Hélio Prates segue em andamento. Além disso, a pasta vai entregar neste ano o Viaduto do Sudoeste (Epig). Todas essas obras compõem o chamado Corredor Eixo Oeste.

“O histórico do nosso governo é tirar grandes projetos do papel. Começamos com o Hospital Oncológico, estamos com obras adiantadas no Túnel de Taguatinga, o Teatro Nacional está em obras. O DF vive de pequenas, médias e grandes obras, cada uma com a sua importância”, comenta o secretário de Governo, José Humberto Pires de Araújo.

 

No campo da infraestrutura, a pasta tem pela frente obras no Sol Nascente, que receberá plena atenção em 2023 e nos próximos anos. Há também projetos para concluir a infraestrutura de Vicente Pires, incluindo uma ponte, e a sequência de drenagem e pavimentação no Setor Habitacional Bernardo Sayão. A secretaria conta, ainda, com projeto de via de ligação no Caub I e II, no Riacho Fundo II.

 

“Teremos entregas muito marcantes, passando pelo Túnel Taguatinga, o Viaduto da Epig, obras no Setor Comercial Sul, na Avenida Paranoá e a via de ligação do Caub I e II”, garante o secretário de Obras, Luciano Carvalho, que também comentou os serviços em andamento. “Destaco, principalmente, o Sol Nascente, que é o nosso grande foco. Sabemos das dificuldades da população da cidade e vamos trabalhar muito para avançar o máximo possível nos três contratos que temos na cidade.”

 

Além dessas, a Secretaria de Obras vai fazer uma via de ligação entre o Guará e o Núcleo Bandeirante e construir uma ponte em Vicente Pires, ligando a Rua 3B ao Jóquei Clube, com investimento de R$ 28 milhões.

O DNA de grandes obras também passa pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER). O órgão vai entregar neste ano os viadutos do Recanto das Emas/Riacho Fundo II, do Riacho Fundo e de Sobradinho, sendo que o do Recanto está previsto para o primeiro bimestre e os demais para o primeiro semestre. Nos próximos dias, será lançada outra obra de via de passagem, no Jardim Botânico – o Viaduto da Esaf.

 

A grande obra de mobilidade será a construção do BRT Norte, trabalho orçado em R$ 1,2 bilhão e a ser feito por etapas, uma vez que demanda grande investimento e depende de financiamento alheio aos cofres do GDF.

 

O DER também dará continuidade ao projeto Caminho das Escolas. Há previsão de que a iniciativa responsável por asfaltar áreas rurais nas proximidades de unidades escolares atenda instituições no Lobeiral (Sobradinho), Catingueiro (Sobradinho), Almécegas (Brazlândia), Córrego do Ouro (Fercal), Pedra Fundamental, Monjolo e Madeira. São 21 unidades a serem atendidas, com investimento de R$ 200 milhões. O Caminho das Escolas totaliza 200 km de vias, dos quais 50 km já foram executados e outros 150 km estão para ser licitados.

(Com Informações da Agência Brasília)

 

 

 

 

 

Mapa do site Dúvidas frequentes